Forasteiros na terra do Tio Sam

1
854

O que acontece quando você se muda de casa, e vai viver em outra rua, outro bairro, outra cidade ou até outro estado?

Nos primeiros dias fica perdido, né? Quer saber onde fica a melhor escola, padarias, supermercados etc… E a nova vizinhança? Leva um tempo para se adaptar aos novos rostos, eles também ficam te estudando com os olhos espichados para dentro da sua casa, querendo ver seus móveis, sua decoração, sua família.

Se essa situação acima já é complicada dentro do nosso Brasil, o que dizer quando você resolve se aventurar a morar fora do seu país. São tantos os fatores envolvidos. Mas enfim, você tomou essa decisão de mudar para os Estados Unidos, veio parar no Texas, na região de Austin, e agora?

O problema agora não é só saber onde ficam os melhores estabelecimentos, a relação humana é o que mais conta nesse momento, não há tempo a perder. Afinal você chegou, tem a barreira da língua que não é a sua e para piorar, você não domina essa gente que tem costumes, cultura e hábitos muito diferentes do seu.

Você se pergunta, o que que eu estou fazendo aqui?

Bate aquela vontade louca de voltar, desistir de todo o investimento feito para chegar até aqui. Mas aí, quando se é do bem, os iguais irão se aproximar de você.

Apesar de eu ter um casal de amigos que vivem aqui há 5 anos e nos deram muito apoio, eu precisava me relacionar mais, criar a minha rede de contatos, saber o que os brasileiros fazem aqui, em que região se concentram mais, vieram morar aqui a troco de quê, sabe aquelas curiosidades, tipo, onde tem mercadinho brasileiro, e a feijoada, a caipirinha, o samba, a nossa cultura? É possível encontrar isso nesse país, é possível encontrar aqui no Texas, pois não estamos falando de Flórida que todos já sabem que há muitos brasileiros por metro quadrado e tem uma comunidade muito forte.

Mas, eis que me surgiu uma luz, me deparei com a indicação de uma pessoa envolvida com o Cultura Brasil Austin – já me entusiasmei com o nome -, fiz várias perguntas sobre o projeto, quais os objetivos e fui gostando cada vez mais do que ouvia. Pensei na hora: BINGO! É disso que preciso, me inserir nesse meio, pois só assim vou ter minhas respostas.

Me apresentei ao CBA, participei logo de cara de uma palestra de uma educadora e escritora mineira, fantástica. Em seguida, aconteceria o carnaval para as crianças no Projeto Brasil, procurei saber como me candidatar como voluntária e pude ser parte naquele evento. Ali tive oportunidade de conhecer alguns brasileiros que fazem parte dessa comunidade. Foi incrível, me senti leve e que poderia sim, encontrar uma razão boa de viver por aqui, pois tinha minha gente, seus costumes e raízes afloradas pelo simples fato de estarmos reunidos.

Em seguida, veio outro evento, dessa vez bem mais grandioso, o Dia da Mulher, foi o suprassumo, mais de 100 brasileiras com seus coloridos, seus sorrisos, abraços e beijos espalhados, cantando e dançando, tudo regado a um tempero brasileiro, servido por um chefe brasileiro, foi realmente espetacular.

Esses dois eventos são só parte do que é o CBA, pois os objetivos vão muito além de eventos, existe toda uma equipe preocupada em difundir a cozinha, a música, a poesia, e o melhor, a acolhida aos forasteiros com a intenção de deixá-los saber que aqui há conterrâneos do bem para ajudá-los.

Foi assim que me senti, acolhida, inclusive tem o grupo MBA – Mulheres Brasileiras em Austin, que faz parte do CBA, que permite divulgar produtos, serviços, recomendações, trocas de experiências e para que todas as mulheres possam ter a oportunidade de adquirir ou vender algo com gosto do Brasil.

Mas veio a pandemia e tivemos, assim como o mundo todo, darmos um tempo nos nossos encontrões, nos nossos abraços apertados, mas o CBA não parou mesmo assim, vem se fazendo presente nas redes sociais, mantendo viva nossa cultura. Os abraços são virtuais, mas o calor da relação humana permanece vivo e à espera de que tudo isso passe logo, para que possamos enfim, nos encontrarmos para um bom bate papo.

Bem-vindo forasteiros, pois aqui tem Cultura Brasil Austin!